A Filosofia de Tim Ferriss sobre Produtividade e Atingir Suas Metas

TF_031015-1042A cada ano, nos prometemos que seremos mais produtivos, gerenciaremos melhor nosso tempo e baixaremos o mais novo aplicativo que promete dar aquele empurrão que precisamos para ficar adiante da nossa inbox sempre crescente.

Para que esse ano seja diferente, decidimos entrevistar Tim Ferriss, autor de “Trabalhe 4 horas por Semana para perguntar sobre alguns assuntos tácitos que nos estão impedindo de atingir nosso nirvana de produtividade.

Trello: O ano novo chegou. Qual é seu mantra pessoal para o Ano Novo?

Tim: Essa é fácil, seria a mesma de cada ano. Em uma frase:

Você é a média das cinco pessoas com as quais você mais se associa.

Se eu tivesse mais espaço, eu diria que estudar o aprendizado acelerado é a alavanca de Arquimedes para todo o resto. É impossível prever o futuro, mas você pode assegurar um máximo de opções se adaptando, o que você pode fazer com “meta-aprendizado” como uma caixa de ferramentas. Esse era o objetivo do Chef de 4 Horas – ensinar essas ferramentas usando exemplos detalhados.

Você acha que demora um século para aprender uma nova língua? Não é verdade, você pode conversar fluentemente em 8 a 12 semanas, sem problema. As Exigências do trabalho mudarão, habilidades evoluirão, ferramentas (Ex. C++ versus o que há de mais novo e potente) rapidamente substituirão uns aos outros e não são os mais fortes que sobrevivem, mas os mais adaptáveis.

Você é a média das cinco pessoas com as quais você mais se associa.tom-ferris

– Tim Ferris

 

 

Trello: Qual foi o melhor conselho de produtividade que você já recebeu?

Tim: Recebi muitos bons conselhos de muita gente ao longo dos anos. O principal no qual me concentro mais, hoje em dia, vem do filósofo programador Derek Sivers. Não se limita à produtividade, mas tem um impacto enorme nessa área.

Aqui está a frase: “Se não for um ‘Sim, pra caramba!’, então deve ser um ‘Não’”

A maneira incisiva de pensar do Derek sempre me impressionou, e seu texto sobre “Sim, para caramba!” ou “não” se tornou uma das minhas regras preferidas para decidir as coisas. Aqui está o essencial:

 “Vocês que se comprometem a fazer demais ou se sentem dispersos demais poderão apreciar uma nova filosofia que estou experimentando: se você não for dizer “SIM, PRA CARAMBA!” para alguma coisa, então diga não.

O que significa: quando você decidir se comprometer a fazer algo, se você sentir qualquer coisa menor do que “Nossa! Isso seria incrível! Claro! Quero muito!” então minha resposta é não. Quando você diz não à muitas coisas, você cria espaço na sua vida para realmente se lançar completamente naquela coisa que te faz dizer “SIM!”

Estamos todos muito ocupados. Todos estamos fazendo coisas demais. Dizer sim a menos coisas é a solução.”

Para ter “sucesso” você tem que dizer “sim” a muitas experiências. Em outras palavras: para descobrir onde você é melhor, ou o que te interessa mais, você tem que experimentar um monte de coisa. Uma vez que sua vida passa de tentar marcar um gol a tentar defender o contra ataque, você tem que dizer “não” sem piedade. Em vez de jogar lanças, você segura o escudo.

tim-ferris “Uma vez que sua vida passa de tentar marcar um gol a tentar defender o contra ataque, você tem que dizer “não” sem piedade. Em vez de jogar lanças, você segura o escudo.”

– Tim Ferris

De 2007-2009 e de novo de 2012-2013, eu disse sim a coisas “legais” demais. Eu gostaria de ir a uma conferência na America do Sul? Escrever um artigo para uma revista que me tomará muito tempo? Investir em uma startup com cinco amigos meus? “Claro, isso parece bacana”. Então eu me comprometia e pagava o preço da distração e da correria depois.

Dizer sim demais a coisas “bacanas” te enterrará vivo e fazer de você um jogador no banco, mesmo se você for um craque. Para desenvolver sua vantagem em primeiro lugar, você aprende a estabelecer prioridades claras; para proteger sua vantagem, você precisa se defendes contra as prioridades dos outros.

Se você não consegue dizer “Sim! Pra caramba!” a algo com um ponto de exclamação entusiasta, diga não firme, porém educadamente. Senão, você estará plantando as sementes da sua própria destruição.

Uma vez que você atinja um nível decente de sucesso profissional, a falta de oportunidade não irá matá-lo. Aceitar 7 sobre 10 dos compromissos “bacanas” que irão afundar seu navio.

TF_031015-890Trello: uma vez que você aprendeu a identificar e executar as oportunidades certas, como você atinge um equilíbrio entre a vida e o trabalho? Ou você diria que isso é uma boa meta em geral?

Tim: Sou um forte defensor da “separação” do trabalho e da vida, em vez de um equilíbrio entre os dois. O conceito de um “equilíbrio” entre o trabalho e a vida é perigoso porque “equilíbrio” é tomado muitas vezes como uma mistura, onde o trabalho e a vida pessoal se alternam nos mesmos ambientes, ou onde se espera que uma atividade se aplique ao mesmo tempo ao trabalho e à vida.

Problemas comuns devidas a essa sutileza semântica são: Verificar o celular enquanto você espera o seu jantar em um restaurante, abrir o laptop enquanto sua esposa te espera na cama, e esperar que sua paixão de 10 anos que você adora tanto pague sua hipoteca. Isso faz que sua mente fique no escritório 24h por dia e destrói as poucas atividades que você fazia só por puro prazer. Isso produz, no melhor dos casos, um sentimento de submersão constante e sutil, mesmo se você tiver pouco trabalho.

Se eu estiver trabalhando, quero estar LIGADO e produtivo ao máximo. Quando estou desligado, quero estar relaxando, e não pensar no trabalho.

Quando as pessoas procuram um “equilíbrio”, elas normalmente acabam misturando as coisas e passando por cima de fronteiras. É assim que você se encontra verificando seu e-mail aos sábados. Na economia móvel, ou de freelance, você precisa traçar seus próprios limites. Em um exemplo simples, eu tenho uma política rígida de não levar o iPhone ao pé da cama; se estiver no meu quarto, ou está desligado, ou em modo avião. Mesma coisa de manhã: o iPhone fica em modo avião até que eu medite por 10-20 minutos e faça meu chá.

Tente ser produtivo em vez de ocupado, e reconheça que a vida está repleta de relações especiais e atividades que precisam ser protegidas de outras. Concentre-se na separação hábil em vez da integração e você pode até, como eu, sentir que um fardo enorme foi levantado. Faça suas próprias regras, e escolha com sabedoria.

TF_031015-1240Trello: você pensa que “siga sua paixão” é um bom conselho de carreira? Como pessoas podem encontrar ou criar o emprego dos sonhos?

Tim: Esses dois conceitos são perigosos. É muito comum sonhar com “emprego dos sonhos” ler sobre eles, e invejar aqueles que escaparam do dia a dia para atingir o nirvana da carreira. E sim, a internet permite que trabalhemos e ganhemos nossa vida de maneiras novas e atraentes, maneiras que permitem que você lucre da sua paixão.

Mas… como essas pessoas que chegaram à terra prometida se sentem realmente? Por trás das frases que eles deixam em revistas, existe uma verdade muito diferente.

Converter paixões em “trabalho” é o jeito mais rápido de matar essas paixões. Surfar por duas horas aos sábados para relaxar depois de uma semana árdua pode ser o paraíso, mas acordar às 6 da manhã para fazê-lo durante 40 horas por semana com clientes difíceis é outra coisa. Misturar prazer e negócios pode ser um coquetel tóxico psicologicamente. Se você depende do seu “emprego dos sonhos” ou da sua “paixão” para sue pão de cada dia ou para pagar o cursinho dos seus filhos, você chegará a um dilema difícil: as coisas que te davam prazer e que tiravam sua cabeça do escritório agora te lembram desse mesmo inferno.

Não estou dizendo que não deveríamos nos interessar por nosso trabalho; deveríamos sim. Só estou dizendo que não deveríamos esperar muito dele. Quanto mais pedirmos a um só veículo, menos esse veículo – seja ele trabalho ou casamento—nos levará aonde queremos ir.

Espere muito da vida, mas não espere muito do seu trabalho. É só uma ferramenta. Faça dela uma ferramenta específica.

Para ter mais conselhos sábios do Tim, inscreva-se para recebe-los por e-mail via a Campanha de Ano Novo da Trello. Você pode também ouvir o Tim em seu podcast, The Tim Ferriss Show.
Tim Ferriss é escritor (Trabalhe 4 horas por semana, etc.) e investidor de primeira fase (Uber, Facebook, Twitter, Alibaba, etc.). Ele Também apresenta o Tim Ferriss Show, que desconstrói os hábitos e as rotinas de dezenas de ídolos, bilionários,  e artistas mundialmente conhecidos. Para experimentar, ele recomenda dar uma olhada nas suas entrevistas com Jamie Foxx ou com o Comandante SEAl da Marinha Americana Jocko Willink.

.

Para saber mais sobre as dicas do Tim, inscreva-se na campanha #PrepararApontarSucesso

Compartilhe esse artigo:

Postagens Relacionadas

Trello on various platforms

Using Trello at Work

Sign up for Trello Business Class to learn how your entire team can maximize productivity.

Saiba mais