Saiba como realizar o sonho de trabalhar 3 dias por semana

trabalhar-3-dias-por-semana

Existe alguém, que seja de carne e osso, que possua um trabalho comum e que tenha o luxo de trabalhar apenas 3 dias por semana?

Surpreendentemente, a resposta é: sim!

Acredite se quiser, há pessoas nesta Terra que vivem de trabalhos de apenas 1 turno, pagam todas as contas e seguem evitando a morte súbita que pode ser resultado de uma dieta composta basicamente de miojo. Melhor ainda, três pessoas que vivem nesse modelo concordaram em compartilhar os segredos do trabalho autônomo para ajudar você a colocar os planos de uma vida mais livre em prática.

Quem são esses mágicos? Conheça a Nita Baum, fundadora da b*Free que também já prestou consultoria para o sistema de ensino público de Chicago; Kean Keeks, administrador de imóveis e fundador da LiveDiff; e O Consultor, um profissional de startups que optou pelo anonimato (mas, mesmo assim, quis dar ótimas dicas aos leitores do Trello).

Esta é a história de como eles hackearam a vida para render mais em menos tempo, e como você também pode começar a reduzir sua carga de trabalho sem comprometer seu salário.

Profissões de meio período

Mas antes de entrar nesse mundo atrativo, tenha em mente que o passo mais importante para trabalhar apenas 1 turno, mas ganhar como período integral é o trabalho autônomo. Não é fácil encontrar um empregador que queira pagar a mais pela sua hora de trabalho, mas quando você oferece um serviço como consultor, pode agregar aos custos sua expertise, suas conexões e mais no pacote.

Sem falar das oportunidades que existem de obter “renda passiva”, que pode ser gerada, por exemplo, vendendo produtos online que trazem uma renda extra fora a renda obtida pela troca do seu tempo. Ao avaliar seu futuro profissional e financeiro nesse contexto, sempre considere com cuidado os prós e contras de se tornar seu próprio chefe.

Então, quais são exatamente as profissões que permitem reduzir as horas gastas no escritório? Para essas pessoas experientes em trabalhar 3 dias por semana, as oportunidades de trabalho e equilíbrio com a vida pessoal são bem criativas. Por exemplo, a expertise de Kean Keek em administração de imóveis se expande além de sua empresa:

“Alugo meus imóveis no Airbnb e ajudo a administrar outros imóveis na plataforma. A média é de três dias por semana ou menos, mas é sazonal. Durante as temporadas mais ocupadas, posso trabalhar quatro dias por semana. E então começa outra temporada em que trabalho um dia por semana.”

O trabalho atual de Nita Baum como consultora freelancer de negócios surgiu a partir de seus papéis anteriores como funcionária em tempo integral:

“Eu era consultora de mudança estratégica e organizacional em Chicago, profissão que incluía um trabalho político. Por exemplo, eu planejava a estratégia de cinco anos para melhorar a educação em um distrito escolar de Chicago. Encabecei o processo e ajudei a conduzir a política de administrar um conselho de diretores. Também consegui apoio para a estratégia e liderei as pessoas nos estágios iniciais de implementação do projeto.”

O Consultor também expandiu seu trabalho a partir de suas responsabilidades anteriores, prestando atenção nas características específicas que o faziam ser eficaz como especialista em sua área:

“Anteriormente, tive o cargo de Chief Technology Officer (em português: Diretor-chefe de Tecnologia), mas me descrevo como o braço direito do CEO. Ajudo a manter os interesses dos desenvolvedores e dos clientes alinhados com os do CEO. Uso minha experiência do mundo de startups e ajudo a liderar a empresa. Pode-se dizer que sou um mediador.”

Dando o salto para trabalhar menos dias por semana

Ao entrevistar cada um dos profissionais, uma verdade em comum fica clara: uma agenda incrível assim não acontece da noite para o dia. Exige muita negociação, confiança e um planejamento financeiro que permita deixar para trás trabalhos que não oferecem o retorno desejado.

Para Nita, trabalhar 3 dias por semana exigiu que ela melhorasse intencionalmente suas habilidades e relacionamentos. Por exemplo, ela já tinha um bom relacionamento com a pessoa que facilitou sua nova oportunidade. Isso quer dizer que essa pessoa já possuía confiança no trabalho da Nita o suficiente para deixá-la gerenciar sua agenda e lhe dar as rédeas de sua semana de trabalho. Além disso, já que a Nita já tinha um profundo entendimento dos valores praticados em sua área de atuação, logo era capaz de negociar seus próprios termos:

“Eu administrava minha própria agenda como consultora, então tinha a autonomia de reduzir meus dias de trabalho, mas fazer isso acontecer exige outro tipo de esforço. Para fazer isso, negociei o preço de meus contratos de modo que me permitissem uma margem para não ter que trabalhar semanas inteiras no ano inteiro.

Fiz isso estudando a respeito das fontes de recursos disponíveis para os projetos em que eu estava trabalhando. Assim, adquiri uma noção do que seria justo pedir. Adquiri o hábito de me inteirar sobre a situação financeira de meus clientes. Isso me preparava para negociar.”

Quando sua conta bancária está zerada, é fácil deixar que as negociações fujam do seu controle. É por isso que o planejamento cuidadoso de renda X gastos é essencial para pedir com segurança o que você quer no seu trabalho. Essa abordagem ajudou “O Consultor” a conseguir o trabalho que queria:

“Eu já tinha uma poupança boa e tinha outros investimentos. Então eu me senti confiante para negociar uma remuneração que aliviasse minha agenda.”

Na busca de oportunidades, é preciso saber o quanto precisa ganhar para ter o estilo de vida que você quer. Ele observa: “Eu sabia que queria apenas um cliente, e que queria um contrato de exclusividade. Então, para negociar, peguei o salário do meu último emprego, juntei com o valor das ações que eu tinha, e dividi pela metade”.

Aprendizados sobre equilibrar o trabalho e a vida pessoal

Além de questões financeiras, dar o salto para trabalhar 3 vezes por semana também precisa de certo nível de desenvolvimento e planejamento pessoal. Quando se trata de aprender a escolher as oportunidades certas, ser disciplinado com seu tempo e encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, a luta é tensa. De acordo com Kean:

“Eu subestimei minha tendência a não ser disciplinado no trabalho. Quando eu trabalhava em período integral, não percebia que estava sempre em uma briga entre horas sentado na cadeira e horas realmente sendo produtivo. As nove horas por dia passavam quase todas na inércia. Eu estava desligando minha mente disciplinada e esperando receber ordens.”

Quando você é microgerenciado e passa a fazer tudo sozinho, aprender como organizar seu dia –– e seguir o plano –– pode ser um desafio. É exatamente isso que ele enfrentou quando começou a organizar sua própria agenda:

“Foi difícil e ainda é um desafio peculiar. Quando eu trabalhava em período integral em uma estrutura maior, era o trabalho de alguém administrar aquela estrutura para mim. Então meu primeiro ano foi para aprender a administrar meu tempo com eficácia. Há uma transição. Não é fácil, mas felizmente não houve uma punição financeira. Perdi um pouco de tempo e talvez algumas oportunidades.”

Para Kean, um pequeno ajuste na sua gestão de tempo fez uma enorme diferença. Ele aprendeu a criar sistemas para si mesmo a fim de não perder tempo pensando sobre como ia organizar seu dia:

“Tenho uma intenção mais clara com estruturas. Eu não estava usando uma agenda para minha vida pessoal antes de sair do meu emprego. Eu nunca teria agendado um tempo para ir na academia ou escrever, mas agora acho que são coisas tão importantes de agendar quanto as coisas do trabalho. Em vez de apenas sistematizar meu trabalho ou criar sistemas para ele, estou criando sistemas para minha vida. Parece chato e nada divertido, mas é essencial. E pode ser divertido. É só criar o hábito.”

O maior motivo para criar um sistema? O tempo tem mais valor quando é escasso, conclui Kean:

“Desenvolvi autodisciplina quando tive que me concentrar mais no que deveria fazer com meu tempo e como estruturá-lo. Agora que sou autônomo, estou constantemente pensando: ‘Qual é a coisa mais eficiente que posso fazer agora? O que vai multiplicar meus esforços por 10?”

Nita enfrentou um problema a mais. Quando ela fez a transição para o estilo de vida autônomo, de repente precisou se deparar com o fato de que tinha controle total de seu tempo –– e de sua identidade:

“Eu estava tão acostumada a ter minha identidade atrelada a uma instituição da qual fazia parte. Era como a ideia de frequentar uma escola ou trabalhar em uma empresa. Quando perdi essa referência, pensei… quem sou eu? O que faço? Foi muito desconcertante no começo. Foi a parte mais difícil, mas também a maior oportunidade. Percebi que eu tinha que responder a essa pergunta e me descobrir.”

Ela decidiu trazer espiritualidade e criatividade para sua gestão do tempo, desenvolvendo uma técnica para organizar seu dia que se mostrou produtiva e sustentável:

“Na verdade desenvolvi um processo muito específico que para mim era como fazer a ‘curadoria da minha inspiração’. Naquela época, eu não sabia o que queria fazer. Pensava: ‘Não tenho um objetivo em mente porque isso parece que vai limitar as possibilidades do que posso criar’.”

Então, apenas dei ouvidos às coisas com as quais me identificava. Só consumi coisas que pareciam realmente estar alinhadas com as minhas verdades. Fui bem específica. Decidi não consumir comidas, filmes, programas de TV ou qualquer outra mídia que não tivesse a ver comigo. E isso levou à criação da b*Free, cuja essência sou eu e continuará sendo eu para o resto da minha vida.”

Saber seu valor é uma parte essencial de acertar nesse equilíbrio. Entenda o valor único que você agrega, e deixe que isso te guie aos tipos de clientes e contratos que realmente quer. E quando eles te encontrarem, seja claro quanto ao seu valor e às suas intenções, explica O Consultor, a fim de alcançar seu resultado ideal:

“Aproveite o fato de terem chegado até você a seu favor. Se alguém te abordar dizendo que quer fazer algo, você tem a vantagem na negociação. E, enquanto você tiver poder de negociação, pode pedir o valor que quiser. Você pode negociar também trabalhar remoto. Em suma, você pode solicitar o que quiser, dentro dos limites razoáveis.”

Mas como você chega a esse ponto em que as pessoas vêm atrás de seus serviços? Networking profissional, tanto online quanto offline, é um ótimo começo: “Para conseguir chamar atenção, você precisa fazer um trabalho interessante e expor seus projetos onde possam ser vistos. Melhore sua marca a ponto das pessoas o conhecerem como um bom profissional e comece a criar esse fluxo de atração.”

A caixa de ferramentas para trabalhar 3 dias por semana

As pessoas que trabalham 3 dias por semana recomendam um monte de recursos, ferramentas e dicas para ter um ótimo equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Comece a melhorar sua semana de trabalho com esta lista prática:

Ferramentas para economizar tempo

  • Boomerang: Não perca tempo tentando lembrar quais e-mails você precisa acompanhar e quando. Coloque-os no Boomerang! Essa ferramenta prática permite que um e-mail volte para a sua caixa de entrada quando você quiser. Além disso, você pode programá-los para serem enviados em outro horário. (Sabe, caso você não queira que as pessoas saibam que você está respondendo aos e-mails às 3h da madrugada em uma terça-feira.)
  • Trello: Você precisa de uma agenda de produtividade, um gerenciador de projetos e uma ferramenta de colaboração que possa acessar de qualquer lugar, a qualquer hora. O Trello é isso. E, com baixo custo de exatamente $0, é um ótimo ponto de partida para um trabalhador autônomo em potencial.
  • VOLP: A comunicação com potenciais clientes é essencial para começar ótimos relacionamentos (e contratos), então evite a má ortografia ou as frases confusas com seu próprio sistema de busca de termos corretos da língua portuguesa.
  • X.ai: Qualquer pessoa pode ter seu próprio assistente, graças à inteligência artificial. A Amy e o Andrew são bots de processo que vão ajudá-lo com as idas e vindas de agendar reuniões por e-mail.

Leituras inspiradoras

Ler é essencial no processo dos três profissionais entrevistados, e aqui estão suas melhores sugestões:

  • A Whole New Mind: Why Right-Brainers will Rule the Future (em português: Uma mente completamente nova: Por que quem usa mais o lado direito do cérebro reinará no futuro), de Daniel H. Pink: Nita é obcecada por esse livro, que descreve em detalhes as seis habilidades humanas essenciais para o sucesso profissional e a satisfação pessoal no futuro.
  • Value-Based Pricing (em português: Precificação com base no valor), de Harry Macdivitt: É um conselho que os criativos recebem toda hora: “Não dê seu preço por hora, e sim, por valor.” Claro, a pergunta inevitável é: “Como?” Esse livro mergulha nos detalhes de criar uma estratégia de precificação e tem um processo passo a passo para implementar a estratégia. Um salve para passos fáceis de seguir!
  • OkDork, de Noah Kagan: Todo mundo adora um bom hack de negócios. O blog OkDork está cheio de dicas para fazer sua empresa aumentar, fazer marketing de maneira profissional e melhorar sua produtividade. Além disso, tem vários exemplos com comida mexicana.
  • Várias obras de Tim Ferriss, a fonte original de hacks de desenvolvimento pessoal. O site dele é um ótimo começo para obter informações úteis sobre tudo, desde dietas a mentoria e habilidades de escrita.

Exercícios diários

Nita recomenda desenvolver hábitos regulares que melhoram sua autoconsciência, a habilidade que te leva a seus desejos profissionais. Isso pode incluir:

  • Páginas matinais: Esse ritual diário é altamente recomendado no The Artist’s Way. O exercício é esvaziar sua mente escrevendo por 10 minutos imediatamente depois de acordar. Dica boa: Termine com uma lista de coisas pelas quais você sente gratidão, assim como algumas afirmações para o dia. Você pode usar este modelo.
  • Meditação: nada surpreendente. A meditação melhora a produtividade, aumenta sentimentos de bem-estar e deixa o sono mais profundo. Coisas ótimas! Para ver ótimas meditações orientadas, confira os recursos da Tara Brach.
  • Yoga: Existe um motivo por que tantos escritórios agora oferecem aulas de yoga. Uma boa sessão vai ajudar você a se concentrar melhor, ficar menos ansioso e a sorrir. Além do mais, o yoga melhora seu sistema imunológico, o que significa menos dias doença e mais férias!

Libere seu tempo

Trabalhar menos da metade da semana pode parecer um sonho impossível. Mas, na realidade, alcançar esse marco requer o mesmo tipo de esforço que você investiria em qualquer outra empreitada profissional: Seja conhecido por suas habilidades, desenvolva relacionamentos profissionais mais próximos e aprenda a ser dono de todos os aspectos de sua vida.

Só explorar o conceito já vai revelar muito sobre você, diz Kean: “Eu fui meio que forçado a considerar essa opção, o que me ajudou a aprender muito sobre mim mesmo”.

Nita acrescenta: “Trabalhar para mim mesma mudou minha perspectiva sobre o que significa criar no mundo. Trabalhar 3 dias por semana não teve apenas a ver com mudar minha agenda. Na verdade, isso se tornou uma redefinição da minha vida. Não sou mais uma trabalhadora. Sou uma criadora.”

Se essas histórias são um indício do que é possível, pode ser que uma vida mais livre não esteja tão longe do seu alcance.

Para o bem ou mal, adoraríamos ouvir o que você acha. Siga-nos no Twitter (@trello_br) ou escreva para atendimento@trello.com.

Leia também: Como escolher o melhor aplicativo de produtividade para você? Um guia para iniciantes

Compartilhe esse artigo:

Postagens Relacionadas

Trello on various platforms

Using Trello at Work

Sign up for Trello Business Class to learn how your entire team can maximize productivity.

Saiba mais