Aprenda de forma definitiva o conceito de multitarefa e veja como ela pode aumentar sua produtividade

Entenda o conceito de multitarefa

Você senta no seu computador para executar um trabalho até o final e normalmente isso acaba envolvendo uma alternância sem fim entre a caixa de entrada do seu e-mail e o projeto que você precisa de fato fazer. Você também olha suas redes sociais enquanto está em reuniões. Você participa de um reunião online enquanto está tomando seu café da manhã. E você escova seus dentes enquanto lê um e-mail que seu chefe te enviou tarde da noite.

Soa familiar? Para a maioria de nós, um dia de trabalho “normal” envolve muito de multitarefa.

A não ser que você tenha assimilado todos os conceitos e dicas de produtividade ao longo de todos esses anos, você provavelmente já está ciente que sua afinidade por fazer várias coisas ao mesmo tempo, está, na verdade, levando sua produtividade para o lixo. Estudos recentes mostram que ser multitarefa pode fazer sua produtividade cair em até 40%.

Mas, o fato é que todos nós continuamos sendo multitarefas. Por exemplo, enquanto eu escrevo esse artigo também estou escutando um podcast e jogando sem parar um brinquedo estranho para meu cachorro.

Então, com isso em mente, por que todos nós somos vítimas da síndrome da multitarefa? E, se todos nós somos culpados, ela pode ser tão ruim assim?

A diferença entre o conceito de multitarefa e ficar mudando de tarefa

Você vai ler o termo “multitarefa” em várias pesquisas e estudos científicos, mas nem sempre ele é usado de uma forma correta.

Você não pode focar em várias tarefas ao mesmo tempo, com exceção de tarefas que são automáticas, como digestão e respiração“, afirma Susan Weinschenk, Ph.D., CEO e Chefe científica de comportamento na The Team W.

Ao invés disso, a grande maioria dos alertas sobre multitarefa que você lê ultimamente, na verdade, se referem ao conceito de “mudança de tarefas”. “Mudança de tarefas se refere ao fato de você ficar mudando sua atenção de uma tarefa para outra. Você pode estar mudando entre duas tarefas ou até mais.” Afirma Weinschenk.

Você normalmente checa o seu e-mail enquanto está fazendo um importante relatório, por exemplo. Esse processo normalmente é chamado de multitarefa, mas na verdade você não está fazendo duas coisas ao mesmo tempo. Ao invés disso, você está apenas indo de uma aba para outra como uma bola de ping pong. Sua caixa de entrada tem sua atenção por alguns segundo antes de você voltar ao relatório que você estava trabalhando.

Em última análise, é essa mudança frenética de contexto (e não realmente fazer duas coisas ao mesmo tempo) que levanta tantos sinos de alerta para psicólogos e especialistas em produtividade. “Toda vez que você muda de contexto, seu cérebro diminui o nível de glicose e demora para voltar ao contexto anterior”, explica Weinschenk. Glicose é a fonte principal de energia do nosso cérebro e é o que nos mantém alertas e focados.

Então, diminua o nível de glicose abusando da mudança de tarefas e você começará a se sentir cansado, estressado e esgotado ao final do dia de trabalho.

Além de tudo isso, essa frequente alternância de tarefas é extremamente improdutiva. “Existem custos de transação“, compartilha Laura Vanderkam, autora dos livros What the Most Successful People Do Before Breakfast e 168 Hours: You Have More Time Than You Think, “Você perde tempo em cada transição de atividades que você faz.”

Ser multitarefa pode ser bom de alguma maneira?

Então, eis o que você aprendeu até agora: ficar mudando de abas no seu navegador está destruindo a sua produtividade. Entretanto, o que dizer de fazer de fato duas coisas ao mesmo tempo?

Como um autoproclamado especialista em multitarefa eu ainda não estava completamente convencido que combinar certos tipos de tarefas fosse indiscutivelmente uma ideia ruim.

Com certeza a multitarefa por si só não é inteiramente ruim. “Todos nós fazemos isso muitas vezes por dia. É parte do nosso processo de adaptação ao que está acontecendo em torno de nós,” adiciona Weinschenk.

Existem alguns fatos interessantes que parecem inferir que o conceito de multitarefa nem sempre é algo ruim.

1. Multitarefa pode melhorar a performance

O que é ser multitarefa

A nossa sociedade atual está inteiramente conectada e isso torna a multitarefa entre diferentes mídias algo normal. Por exemplo, você escuta música enquanto trabalha. Ou você faz uma compra no seu celular enquanto está assistindo televisão.

Vários pesquisadores afirmam que essa sobrecarga de mídias pode ser ruim para você. Entretanto, um experimento descobriu que essa obsessão em ser multitarefa com mídias pode ser, na verdade, benéfico para você.

Em um estudo conduzido por Kelvin Lui e Alan Wong da Universidade Chinesa de Hong Kong, 63 participantes foram convidados a completar um teste de pesquisa visual. Eles tinham que identificar um determinado corpo em particular em uma tela com várias imagens semelhantes onde todas estavam mudando de cor.

Para adicionar uma surpresa nisso tudo, os pesquisadores tocariam um som durante os testes. Esses sons não faziam indicação da localização do corpo, mas indicavam o momento exato em que o corpo mudava de cor.

Os resultados? Os participantes que estavam acostumados com multitarefa de mídia foram mais efetivos a integração multissensorial. Em termos mais simples, a ocorrência do som aleatório não tirou o foco deles. Muito pelo contrário – os ajudou a identificar o corpo mais rapidamente.

Parece que a capacidade deles de receber informações de várias fontes diferentes tornou mais fácil para eles usarem o sinal auditivo como uma vantagem, levando a uma grande melhoria no desempenho na presença do som“, afirma o resumo do estudo.

Mas, e em relação ao conceito de multitarefas que não estão relacionadas com mídias?

Um estudo de 2015 conduzido pela Universidade da Flórida compartilha um resultado similar ao fenômeno da multitarefa. Os participantes eram convidados a sentar em bicicletas de academia e pedalar por 2 minutos na velocidade que eles se sentissem mais confortáveis.

Depois disso, eles tinham que pedalar novamente, mas dessa vez com uma tela na frente deles com 12 tipos diferentes de testes cognitivos. E com graus de dificuldades variáveis. Então, eles eram convidados a completar os mesmos testes cognitivos, mas dessa vez sentados em uma cadeira.

Os resultados surpreenderam até os pesquisadores. Não só os participantes não foram pior nos testes quando estavam na bicicleta – como eles realmente pedalaram 25% mais rápido. Assim, a multitarefa não teve efeitos negativos sobre a função cognitiva. Ainda melhor, melhorou o desempenho físico deles.

2. Multitarefa pode “aprofundar” o seu tempo

Gestão do tempo - Multitarefa

“Existe uma boa forma de multitarefa, o que eu tendo a pensar mais ou menos como um “alinhamento”, compartilha Vanderkam, “isso significa se aprofundar no tempo e não fragmentar ele.”

Vanderkam cita que se exercitar com um amigo é um ótimo exemplo. “Você está correndo, mas ao mesmo tempo você está conversando e nutrindo seu relacionamento. Isso é um bom exemplo de multitarefa.” Ela fala. Peter Bregman menciona um uso do tempo similar em seu artigo na Forbes, onde ele debate como ele conseguiu gerenciar com sucesso exercícios com o relacionamento com seu colega de trabalho.

O segredo para usar a multitarefa para fazer um melhor uso do seu tempo está em encontrar tarefas que não causam uma enorme quantidade de conflito entre si, como os exemplos de exercícios acima.

“Em outras palavras, você pode realizar várias tarefas enquanto estiver fazendo duas coisas que não usem as mesmas partes do seu cérebro”, explica Bregman, “E-mail enquanto está em uma ligação? Péssima ideia. Mas exercício e deslocamento? É um casamento multitarefa perfeito “.

Existem pesquisas que suportam o que Bregman está afirmando. Em um estudo publicado na Psychological Science (Vol. 12, No. 2) por Eric H. Schumacher, Ph.D. da Universidade da Califórnia e Berkeley, três experimentos diferentes concluíram que as pessoas podem realmente fazer duas tarefas diferentes ao mesmo tempo – particularmente aquelas que são praticadas e não interferem fisicamente entre si.

Então, nesse tipo de circunstâncias especiais, a multitarefa pode realmente servir para maximizar seu tempo, ao invés de destruí-lo.

O segredo para usar a multitarefa para fazer um melhor uso do seu tempo está em encontrar tarefas que não causam uma enorme quantidade de conflito entre si, como os exemplos de exercícios acima.

A dicotomia da multitarefa: Fazer ou não fazer?

Para onde você vai seguir depois desse texto? Você vai continuar na tentação da multitarefa ou vai fazer o seu melhor e focar em uma tarefa só?

Bem, isso depende se você está se referindo a uma simples mudança de tarefas ou ao verdadeiro conceito de multitarefa.

Com base em toda a pesquisa que mostramos, uma coisa é certa: a troca de tarefas, ou a frequente mudança entre coisas a fazer, é ruim. Essa mudança esgota seus recursos mentais, desperdiça seu tempo e te deixa com uma sensação de incompetência.

Multitarefa, no entanto, pode ter algum mérito. Como você provavelmente ouviu falar, é fisicamente impossível fazer duas coisas ao mesmo tempo, entretanto essa regra realmente só se aplica a tarefas que exigem os mesmos recursos cognitivos. É muito difícil escrever um e-mail enquanto você está simultâneamente conversando com um amigo, por exemplo.

Mas, tente encontrar maneiras de combinar duas tarefas que são diferentes o suficiente. Pense em ouvir um podcast educacional enquanto faz seu trajeto para o trabalho, pratique uma apresentação enquanto corre na esteira ou faça um brainstorm de ideias ao lavar a louça. Multitarefa pode realmente servir para beneficiar você e seus níveis de produtividade.

Compartilhe esse artigo:

Postagens Relacionadas

Trello on various platforms

Using Trello at Work

Sign up for Trello Business Class to learn how your entire team can maximize productivity.

Saiba mais