Feedback nas empresas: Como construir uma cultura de feedback sincera

Quando foi a última vez que você recebeu um feedback na empresa completamente sincero? Você tem medo de apresentar seus projetos para a equipe porque tem medo das críticas severas?

Com tanta coisa em jogo, não é de admirar que tantas pessoas escolham o caminho mais seguro ao invés de se arriscar. O problema é que, não se arriscar leva ao trabalho da mesma forma, na melhor das hipóteses.

Mas não precisa ser assim! Pesquisas sobre feedbacks nas empresas são abundantes e muitas organizações estão cada vez mais compartilhando o que funciona para elas. Ed Catmull, co-fundador da Pixar e autor do livro Creativity, Inc., introduz o conceito de ‘Braintrusts’ como uma forma de encorajar feedbacks nas empresas.

Em suas palavras, “O Braintrust é nosso primeiro sistema para conversa direta [na Pixar]. Sua premissa é simples: Colocar pessoas inteligentes e apaixonadas em uma sala juntos, cobrar que eles identifiquem e resolvam problemas e encorajá-los para que sejam sinceros um com os outros.” Ele atribui os 14 sucessos consecutivos de bilheteria da casa de animação a esse modelo de feedback na empresa.

Vamos dar uma olhada nos princípios fundamentais do Braintrust.

Opiniões de especialistas em um local seguro

Imagine fazer uma apresentação para a equipe executiva da empresa. A ideia te enche de animação ou medo? Por quê?

Na Pixar, o Braintrust é uma reunião mensal com os diretores veteranos para avaliar os filmes. Embora os apresentadores tenham o maior respeito por esses diretores veteranos e seu trabalho, nenhum deles realmente se reporta a esses membros do braintrust.

Enquanto o primeiro Braintrust da Pixar era composto por cinco membros da equipe de Toy Story, hoje em dia ele já cresceu e inclui outros diretores, escritores e diretores de histórias, todos os mestres da indústria cinematográfica.

A mecânica é simples: peça o almoço, agende uma sala de conferência com uma mesa grande, leve o projeto e mãos à obra. Comece ditando as regras básicas – a necessidade da franqueza (abertura e honestidade) e a importância de evitar soluções. Próximo, um membro do Braintrust introduz o apresentador e contextualiza a reunião para o restante da equipe do projeto em questão e porquê é importante. Então, mergulhe na apresentação.

Eu, respeitosamente, discordo

Embora as discussões possam ficar quentes, o espírito da reunião é sempre aprimorar o projeto em questão. Às vezes, um ponto pode parecer pequeno para dar o feedback e mudar o projeto da pessoa, mas esse é o segredo principal para equipes de sucesso. Em vez de ouvir “você escreve mal”, por exemplo, você ouve “essa introdução não tem um gancho forte”. Mesmo quando esse ponto é feito com muita paixão, como receptor você deve internalizar que é um feedback focado na resolução do problema e não sobre você.

“Eles discutem – algumas vezes de forma calorosa – mas sempre sobre o projeto. Eles não são motivados pelo tipo de coisa como: ganhar crédito por uma ideia, agradar seus supervisores, ganhar um ponto só para dizer que você fez, que muitas vezes aparecem nas interações de trabalho.” – Ed Catmull, Pixar

A chave é olhar para outros pontos de vistas como aditivos, não competitivos. Não torne a discussão em um debate, medindo cada ideia um contra o outro. Em vez disso, suponha que todo mundo tem algo a adicionar, mesmo que seja só parte da conversa. Todos são iguais na reunião e todos estão lá para resolver problemas. Com isso em mente, você verá quão valioso esse formato é. Por sua vez, sua equipe te ajuda a ampliar sua perspectiva te auxiliando a ver com outros olhos.

Tome nota se quiser.

Ao final da reunião, o apresentador deixa a reunião com várias notas e perguntas. Eles sozinhos tem que interpretar e desenvolver a melhor solução. O conselho do Braintrust nunca é prescritivo, nem o apresentador precisa aceitá-lo. O trabalho do Brainstrust é introduzir uma nova perspectiva para não travar o desenvolvimento do projeto.

Por trás das cenas: O Braintrust no Trello

Trello lançou recentemente um Produto Braintrust. Justin Gallagher, vice-presidente de Produto e líder da iniciativa descreveu duas motivações para iniciar o PBT:

  1. O Trello possui uma filosofia bem específica de produto, o que torna crucial transmitir e preservar esses princípios à medida que a empresa cresce. A melhor forma de fazer isso é conversando sobre o contexto de trabalho real. Por exemplo, uma de nossas mais novas funcionalidades, os cartões interligados para organizar projetos, foi um tópico recente de discussão no Produto de Braintrust pela necessidade de resolver um problema da vida real com o acompanhamento de cartões em quadros diferentes.
  2. Conforme o Trello cresce e mais equipes se encontram trabalhando em paralelo, diferentes pessoas estão buscando outros colegas para obter feedbacks. Às vezes eles estão recebendo feedbacks contraditórios, fazendo com que o projeto fique paralisado. Unindo colegas de trabalho para discutir feedbacks em uma sala comprimindo de forma síncrona o período de tempo gasto.

O produto de Braintrust do Trello é focado exclusivamente em experiências que mudam a forma como as pessoas usam o Trello, na experiência do usuário mesmo. Por causa disso, seus membros representam as áreas de Produto, Engenharia, Design, Marketing, Vendas e Suporte.

Justin compartilha algumas regras básicas para o produto de Braintrust do Trello:

  • O apresentador é a pessoa principal que está trabalhando na funcionalidade ou ideia em questão. Isso minimiza o tempo de evolução já que a pessoa mais familiarizada com o problema é quem estará falando. Uma vez que haverá várias questões sobre outras soluções consideradas ou pesquisas feitas, um gerente ou líder de equipe não terá tanta familiaridade. Por último, as ideias da sessão são pensamentos iniciais e é importante que eles não se percam na tradução.
  • Perguntas e feedbacks são encorajadas, mas não soluções. O princípio fundamental do Braintrust é a falta de autoridade para solicitar soluções. Isso mantém a dinâmica em um mesmo nível ao invés de um relacionamento de cima para baixo. Ele também fornece conversas mais honestas se o apresentador sabe que pode descartar as ideias.
  • O ônus está em o apresentador descobrir como incorporar o feedback e seguir em frente. O objetivo do braintrust é tirar o apresentador da árvore para que ele possa ver toda a floresta. Já que o apresentador é o mais próximo do problema, ele geralmente vai saber a melhor forma de seguir em frente. Se ele ficar paralisado, ele sempre pode voltar a apresentar o trabalho revisado em uma data posterior.

Se você está interessado em iniciar o seu próprio produto de Braintrust para melhorar o atendimento ao cliente, um produto e principalmente a forma de realizar feedbacks na sua empresa, aqui está um template do nosso quadro.

Dê uma olhada (e copie) o exemplo de Braintrust.

Melhor Juntos

Assim como Ed Catmull explica, “O Braintrust é uma das mais importantes tradições na Pixar. Não é infalível – às vezes algumas interações só servem para destacar a dificuldade em alcançar a sinceridade – mas quando conseguimos, os resultados são fenomenais.”

Antes de você começar, lembre-se de estabelecer as regras básicas dos feedbacks na empresa, das ideias não prescritivas e da importância da sinceridade. Braintrust é um ótimo veículo para coletar feedback nas empresas e ampliar suas perspectivas.

Agora que você já aprendeu tudo. Peça o almoço, reserve uma sala e veja onde suas melhores ideias podem te levar!

Compartilhe esse artigo:

Postagens Relacionadas

Trello on various platforms

Using Trello at Work

Sign up for Trello Business Class to learn how your entire team can maximize productivity.

Saiba mais