Procure falhar: repensar em como lidar com a rejeição pode aumentar sua produtividade

lidar com a rejeição no trabalho

Ninguém gosta de ouvir um “não”, ainda mais depois de ter trabalhado duro em alguma ideia. Entretanto, na grande maioria dos ambientes de trabalho, lidar com a rejeição já virou parte do trabalho. Sonhe em trabalhar numa área mais criativa ou vire um inovador e você pode estar garantindo um ingresso para uma rejeição ainda mais brutal (e às vezes pública).

Então, como você pode aprender a lidar bem com a rejeição no trabalho? Muitos empreendedores e visionários de sucesso alegam que a rejeição foi uma das melhores coisas que aconteceram na vida deles. Desenvolver uma atitude positiva em relação à rejeição não é tão contra-intuitivo quanto parece. Abaixo algumas dicas de profissionais que aprenderam como lidar com a rejeição no trabalho e na vida:

Por que falhar pode te levar ao sucesso

A criativa escritora de não ficção Kim Liao publicou ano passado um artigo que gerou muita polêmica na comunidade literária. No artigo ela descreveu sua estratégia para conseguir 100 rejeições por ano. Você pode não estar acostumado em ver rejeição como um sinal de ambição, mas Liao mostra que um número de três dígitos como meta é algo bem difícil de atingir.

“O meu ego me impedia de ter a coragem necessária para escrever para revistas literárias e artigos e também de aplicar para subsídios, bolsas de estudo e residências.” Após acumular 43 rejeições e 5 aceitações, ela escreveu: “Agora eu consigo lidar com a rejeição como uma conversa: para cada artigo que é rejeitado, pelo menos uma pessoa leu, pensou a respeito e realmente considerou se era algo bom para publicação.”

O real custo de lidar com a rejeição não é ouvir um “não” uma vez. É perder oportunidades de tentar novamente porque a rejeição original ainda está ecoando na sua cabeça.

Criar um desafio e objetivo de rejeição significa que você não terá tempo para se sentir sufocado. Para conseguir 100 rejeições por ano como Liao, você precisa enviar algo quase que diariamente. Você precisa gerar novas ideias rapidamente e ainda reenviar ideias que foram rejeitadas inicialmente para um novo local o mais rápido possível.

aprenda a lidar com rejeição

Aprender como lidar com a rejeição no trabalho até mesmo pode encorajar um crescimento mais saudável do negócio. Você terá que pesquisar mais potenciais clientes ou mercados, então você acaba não sobrecarregando sua lista atual de contatos.

Se você reformular o sentimento de rejeição para uma realização ao invés de uma penalidade, você pode reunir a coragem necessária para apontar para metas de alto nível e altamente competitivas mais facilmente. Pessoas extremamente orientadas a realizações, que normalmente são conhecidas como “Nível A”, podem até achar uma estranha sensação de satisfação em adicionar rejeições em suas metas anuais.

Procurar por rejeição também significa que você não pode descansar nas suas conquistas. O sucesso não pode contar no seu “placar/resultado”. Ter constantes sucessos pode até ser um alarme de que você está restringindo suas oportunidades e não está mirando alto o suficiente. Está na hora de aumentar os preços, tentar conversar com mercados mais prestigiados ou expandir o alcance da sua empresa.

Trabalhar com os mesmos clientes e nos mesmos tipos de projetos é confortável, porém não direciona sua empresa para o crescimento. Você pode ter um momento de felicidade e se sentir bem logo depois de conseguir um “sim”, porém você precisa ficar atento e já entender que depois de um sim é o momento ideal para seguir em frente com uma nova ideia para manter os números de rejeições onde eles deveriam estar.

Aprendendo sobre garra com fracassos de pessoas famosas

aprendendo com pessoas famosas

Mesmo se você aprendeu como lidar com a rejeição e já vê isso como algo saudável, ainda assim, poderá ser desencorajador ver respostas negativas na sua caixa de e-mail dia após dia. O que a maioria das pessoas esquecem é que basicamente todo mundo que elas admiram como modelos de sucesso também sofreram da mesma rejeição e, pelos números, essas pessoas também são as que mais falham.

Pessoas de sucesso se colocam fora da zona de conforto quase sempre, o que geralmente significa que as ideias delas são rejeitadas constantemente. F. Scott Fitzgerald teve 122 rejeições antes dele conseguir emplacar como um escritor de contos. Anna Wintour, editora da Vogue, foi demitida de uma posição de baixo escalão no Harper’s Bazaar porque seu chefe achava que as fotos dela eram muito irritantes. Oprah Winfrey, Howard Stern, Walt Disney, J.K. Rowling e tantos outros, tiveram chefes que disseram que eles não tinham o perfil necessário para a área que eles escolheram atuar ou que não tinham criatividade (haha!).

Em retrospectiva, é fácil ver que essas mega-estrelas eram visionárias e que fizeram certo ao perceberem que seus antigos chefes eram idiotas e que não podiam perceber o gênio(a) que estava bem na frente deles. Entretanto, no momento, é devastador ser rejeitado por algo que você pensava ser sua grande força!

“O real custo de lidar com a rejeição não é ouvir um “não” uma vez. É perder oportunidades de tentar novamente porque a rejeição original ainda está ecoando na sua cabeça.”

Sucesso requer uma atitude de nunca desistir que psicólogos frequentemente se referem como “resiliência” ou “garra”.

Pesquisadores ainda estão tentando entender como a garra funciona e qual a combinação de fatores que determinam uma pessoa com garra. Nesse meio tempo, alguns experts identificaram estratégias que pessoas com garra usam para continuar se movendo para frente:

  • Cultive um “pensamento de crescimento”. Pessoas com um mindset fixo veem qualidades como inteligência ou talento como algo inato – ou você tem ou você não tem. Em uma mentalidade de growth, você acredita que qualquer habilidade pode ser aprendida dependendo da quantidade de esforço que você dedica. Angela Lee Duckworth, autora do livro Garra: O Poder da Paixão e da Perseverança, afirma: “A esperança que pessoas com garra tem, nada tem haver com sorte e sim com levantar-se sempre depois de uma dificuldade”. Resolver usar suas habilidades para fazer do amanhã um dia melhor ao invés de simplesmente desejar que as coisas melhorem é uma melhor forma de se manter engajado com o processo.
  • Escute seu inconsciente. Duckworth acredita que garra está fundamentada em um senso de fazer algo significante. Está preso em um trabalho que você odeia? Procure formas de seu trabalho ajudar outras pessoas e então transforme uma rotina monótona em algo com um entregável significante para todos envolvidos no processo.
  • Pratique atenção plena. Linda Lantieri, diretora do Inner Resilience Program, afirma que uma prática regular de atenção plena aumenta seu autoconhecimento, melhora sua concentração e torna mais fácil ficar relaxado em situações estressantes. Uma pausa para meditação ou para um alongamento podem liberar a tensão.
  • Procure por feedback. Identificar áreas para melhorar sua abordagem acaba recategorizando uma rejeição. Ao invés de um fracasso é uma oportunidade de aprendizado e uma chance de praticar novas coisas.
  • Invista tempo. Defina paralelamente um tempo determinado, como a última sexta-feira do mês, para rever o último lote de rejeições. Procure por temas. Você está ouvindo “muito vago” ou “não é para a gente” frequentemente? Você pode usar essas razões como um guia para melhorar seu pitch para a próxima vez que abordar alguém.

Steve Jobs é particularmente um forte exemplo de alguém que usou a garra para superar crises profissionais. Ele e seu sócio começaram a Apple em uma garagem quando Jobs tinha apenas 20 anos. Quando Jobs tinha por volta de 30 anos a Apple já era uma empresa multimilionária e ele se viu sendo expulso da própria companhia quando o board de executivos discordou da sua visão criativa. Em seu legendário discurso para a turma de 2005 em Stanford, ele lembrou o quão desmotivado ele se sentiu ao sair da Apple:

“O que tinha sido o foco da minha vida adulta inteira, agora tinha ido embora e isso era devastador. Eu era um fracasso ambulante e público e eu cheguei a pensar em me mudar do Vale do Silício. Entretanto, algo começou a surgir em mim de forma devagar – Eu ainda amava o que tinha feito”.

Jobs resolveu usar sua inesperada (e inicialmente não desejada) liberdade para tentar novas coisas. Ele lançou a Pixar Animation Studios e uma empresa de software chamada NeXT. No tempo que ele foi contratado novamente pela Apple no final dos anos 90, Jobs estava se preparando para lançar um dos produtos mais esperados e bem sucedidos da Apple (já ouviu falar de um pequeno dispositivo chamado iPhone?).

“Tente novamente. Falhe novamente. Falhe de uma melhor maneira”

tente novamente

Outra armadilha que você precisa ficar atento é se você está ficando desleixado com seu trabalho. É mais fácil acumular 100 rejeições (ou qualquer que seja o seu objetivo) se você enviar aplicações contendo erros de digitação e ideias sem graça. É também um desperdício do tempo de todos os envolvidos.

Samuel Beckett é o autor da citação no topo dessa sessão. A ideia de “falhar de uma melhor maneira” está ligada a ideia popular de que você precisa de pelo menos 10.000 horas de prática para se tornar expert em algo. Investir um tempo para se aprimorar e revisar ideias que foram rejeitadas pode levar a melhores taxas de sucesso do que simplesmente enviar ideias antigas para alguém diferente.

Comece organizando suas ideias em um formato que seja simples de localizar. Se você fizer um brainstorm e organizar seu trabalho em um quadro do Trello, você pode ter listas para “Brainstorms que precisam de desenvolvimento, “Pronto para envio”, “Esperando respostas” e “Precisa de revisão”.

Na sua revisão de rotina, faça uma análise crítica sobre esses elementos de ideias difíceis ou propostas rejeitadas para aumentar suas chances de um “sim”:

  • Ponto de vista: essa ideia é muito pessoal, muito abrangente ou já foi muito falada? Qual nova ideia eu posso trazer para meu projeto para distinguir ele dos já existentes?
  • Audiência: Quem eu quero atingir com essa ideia? Qual problema minha ideia irá ajudar a resolver? Existe alguém que pode se beneficiar com esse projeto que eu ainda não entrei em contato?
  • Temporalidade: Por que agora é o momento certo para essa ideia? Existe algum aniversário, objetivos/conquistas ou algum novo evento que tenha sinergia?
  • Profundidade: Eu estou incluindo todos os detalhes necessários no meu projeto (ou está muito superficial e precisa de algo a mais para ficar de alto nível)? Eu preciso trazer alguém de fora para dar alguma opinião e autoridade ao projeto?

quadro de ideias

Copie esse quadro inspiracional e faça o seu próprio

Procure também pelo lado bom nas observações feitas quando você for rejeitado. Se seu chefe disser “nós já temos algo similar que funciona”, isso significa que você está vindo com boas ideias. Pergunte como você pode ajudar no projeto atual e continue trabalhando duro e fazendo brainstorm para novas ideias. Sua próxima ideia pode vir no tempo exato e ganhar o tão sonhado sim.

E você? Aprendeu como lidar com a rejeição no trabalho e na vida? Conta pra gente nos comentários que técnicas tem usado.

E se gostou desse artigo, veja também: Resistir ou fugir? Como canalizar sua ansiedade no trabalho para uma melhor produtividade

Compartilhe esse artigo:

Postagens Relacionadas

Trello on various platforms

Using Trello at Work

Sign up for Trello Business Class to learn how your entire team can maximize productivity.

Saiba mais